41 3165-7000

41 99698-0378

MÚSICA E CELULAR NO HORÁRIO DE TRABALHO. PODE?

Buscar

Esse texto foi baseado em conteúdos da JusBrasil, ÉPOCA Negócios, Revista EXAME e Blogs (Marcus Marques e Lumiun). Boa leitura!

Entre as contradições existentes dentro dos escritórios, o campeão das discussões deve ser o ar condicionado. Mas não muito longe, pode aparecer o barulho a que as pessoas estão expostas e a distração causada pelo celular. Há quem não se importe, mas a quem fique profundamente estressado. De que forma o celular e a música influenciam nosso trabalho? São bons ou ruins para a concentração? Aumentam a nossa produtividade ou nos distraem?

 

CELULAR

Celular? Imprescindível (diria a maioria)!  Mas a sua utilização no ambiente de trabalho é motivo de dor de cabeça de muitos empresários, apesar de ser prática comum para grande maioria dos profissionais e também para os gestores de equipes e empresas.

MÚSICA

A quem prefira colocar fones de ouvido para se isolar em sua própria música. Falta de educação? Alheio? Concentrado? Cabe isso no ambiente de trabalho da sua empresa?

 

 

PRODUTIVIDADE

Sobre o uso do celular a maioria dos gestores considera o aparelho como uma distração e consequente queda de rendimento e, em algumas situações, realmente é. Sabe-se que o uso interfere na concentração e foco, tão necessários ao bom desempenho das tarefas.

Sobre ouvir música vários estudos mostram que não há uma relação clara com a produtividade. É algo que dependerá da música que a pessoa esteja ouvindo naquele momento e do tipo de tarefa que ela precise realizar. A música pode deixar o ambiente mais feliz e produtivo, mas é preciso sempre considerar que há pessoas e tarefas que precisam ser realizados no mais puro silêncio. No entanto, segundo a União Brasileira das Associações de Musicoterapia (Ubam), existem diferenças nos resultados de acordo com o nível de experiência do funcionário. “A música no trabalho tem que ser muito bem estudada e planejada. Cada local tem uma acústica diferente, tem pessoas com gostos e culturais/ sociais distintos. Sons ambientes podem ser bons...”, diz a Ubam. A pesquisa constatou que pessoas com “experiência moderada” no trabalho foram as que mais se beneficiaram, enquanto os mais vividos na profissão não apresentaram muitas melhoras na produtividade. E a música pareceu distrair os mais novatos. O que parece é que algumas pessoas acabam escutando músicas que remetem a algum momento importante, engraçado e inesquecível da vida, o que acaba desfocando o profissional da tarefa realizada, mas tudo dependerá da pessoa.

 

SEGURANÇA

Em algumas funções é totalmente razoável a proibição absoluta do uso do celular. É o caso de funções em que há risco de vida e/ou de acidentes, ou até mesmo caso de vedações legais, como no caso de motoristas e frentistas (NR 20). Em atividades de risco, recomenda-se que a proibição quanto ao uso do celular conste nos procedimentos de segurança.

 

REGRAS x MOTIVAÇÃO

Criar regras claras sobre o uso do celular e a permissão para ouvir música durante o trabalho é o primeiro passo. Recomenda-se incluir cláusulas restritivas nos contratos de trabalho e estabelecer, por meio de regulamento interno, o que é permitido, fixando horários pré-determinados ou limitados às pequenas pausas de descanso, bem como, aplicativos tolerados. Definir igualmente, se ficar com fones de ouvido no escritório é aceitável ou não.

Simplesmente PROIBIR essas práticas na empresa pode ter o efeito exatamente oposto no rendimento de seus profissionais do que se permitisse que eles continuassem fazendo o uso com bom senso. Se você proibir seus empregados de usarem o celular mesmo de forma ocasional, é provável que isso faça com que eles se sintam desmotivados. E a motivação está intimamente ligada à produtividade.

A ineficiência detectada com os funcionários desconcentrados que desperdiçavam seu tempo com seus telefones celulares provavelmente se repetirá de várias outras maneiras.

Independente das regras e orientações da empresa, você como profissional deve evitar que o uso do celular ou trabalhar ouvindo música prejudique o seu desempenho e seu relacionamento com os colegas.

 

Seja Flexível

O empregador decide se o uso do celular será permitido ou não. Se a decisão for a de implantar uma política do uso do smartphone na empresa, compreenda que deve sempre deixar espaço nas regras para exceções e a flexibilização dificultará o controle. Quando pode? Quanto tempo pode? Pontos difíceis de definir.

Trate os funcionários que ficam distraídos nos seus telefones da mesma forma que faria com qualquer outro colaborador cuja produtividade está ruim. Evite punir toda a equipe com uma proibição do uso do aparelho, só porque um dos funcionários abusou desta vantagem.

 

O QUE DIZ A LEI

É inquestionável que cabe a empresa, no poder de comando, gestar as funções do empregado e coordenar seu trabalho. A jurisprudência sobre o empregador autorizar ou não o uso do computador e da internet da empresa para fins pessoais já existe no âmbito trabalhista.

Já a proibição do uso de celulares é algo possível e facultado ao empregador em decorrência do chamado Poder Diretivo do Empregador, podendo resultar em penalidades disciplinares. Neste caso, se houver descumprimento da cláusula contratual ou norma interna da empresa acerca do assunto, o projeto sugere que sejam aplicadas ao empregado penalidades disciplinares como advertências, suspensões, ou mesmo a justa causa quando a aplicação as penas mais leves não tiverem efeito.

Nas empresas em que o empregado utiliza do celular particular para o trabalho, com a ciência do empregador, não há que se falar em proibição pois o empregador está se beneficiando e obtendo lucros. Nas empresas em que o empregado não utiliza o celular para o trabalho, a análise é mais cautelosa e merece algumas considerações. A questão que mais traz discussões são as hipóteses em que o celular não é usado para o trabalho e o uso do celular durante o expediente não representa risco de vida, acidente e/ou não possui vedação legal. Nestes casos, o empregador pode vetar o uso do celular? No entender da Advogada Flávia Possi Rodrigues (da JusBrasil), o empregador não pode vedar o uso do celular nestes casos. A proibição fere o direito à intimidade e pode configurar como abuso de poder. Contudo nada impede que o empregador crie regras sobre o assunto, e o regulamento interno da empresa é o melhor caminho para apresentá-las observando as funções do empregado e as incompatibilidades. A melhor forma de analisar a situação é no caso concreto. É certo, no entanto, que o prejuízo deverá ser analisado caso a caso. A título de exemplo podemos citar o vendedor que atende o cliente usando o celular, ao invés de dedicar sua atenção integralmente ao bom atendimento. Helloooo?!!! Quem precisa vender???

É certo, no entanto, que ainda que o empregado não esteja no atendimento à clientes, algumas posturas devem ser mantidas e a negativa ao uso do celular deve prevalecer, como exemplo, podemos citar os jogos, pois não é razoável, em hipótese alguma, ainda que não haja prejuízo ao exercício das funções, que o empregado abandone seu posto de trabalho para caçar Pokémons. Trata-se de postura totalmente incompatível com o trabalho.

- Como a empresa deve agir ao perceber que o funcionário não está respeitando as regras?

Quando a empresa admite um empregado, está contratando sua força de trabalho em troca do salário. Dessa forma, espera-se que o colaborador se dedique com esmero ao labor e não se distraia em atividades alheias que possam prejudicar o resultado do serviço.

Assim, ao perceber que a vedação não está sendo acatada, o empregador precisa adotar uma punição gradativa, ou seja, primeiro advertir que o procedimento é contrário às normas e solicitar que cesse a conduta irregular.

Caso o funcionário persista, então poderá ser suspenso. Havendo reincidências frequentes e estando comprovado que a atitude causa prejuízos à empresa, é cabível até mesmo a aplicação de justa causa.

- Você sabia?

Que o deputado federal Heuler Cruvinel (PSD/GO) apresentou um projeto de lei (nº 9066/2017) que visa a proibir o uso de aparelhos eletrônicos portáteis - entre eles, celulares - durante o expediente no trabalho?

Estão fora da regra os casos em que o funcionário usa aparelho fornecido pelo empregador com fins específicos de trabalho.

"Na atual realidade a questão tempo e produção de excelência é o ponto alto nas relações profissionais do dia a dia, porém assistimos todos os dias a falta de atenção de funcionários em razão do uso privado do telefone celular", diz um dos argumentos usados por Cruvinel. 

 

LISTA DE BOAS PRÁTICAS PARA USAR O CELULAR  CORRETAMENTE NO AMBIENTE DE TRABALHO

Para auxiliar você a evitar esses inconvenientes e principalmente não deixar que o celular prejudique suas atividades e produtividade no trabalho, confira!

Modo silencioso sempre!

Obrigatório. Evite sons de notificações que venham a atrapalhar a sua concentração e dos seus colegas ou ainda criar aquela situação desagradável em uma reunião com seu chefe ou com o cliente.

Desative as notificações de aplicativos

Notificações das redes sociais, jogos, mensagens de WhatsApp, Instagram e e-mails. Cada notificação ou alerta exibido no seu celular, irá chamar a sua atenção e fazer com que você deixe de fazer a atividade do trabalho que estava fazendo para verificar as novidades. A frequência dessas interrupções é sem dúvida a maior vilã da sua produtividade.

Portanto, desative notificações e alertas de todos aplicativos que não possuem relação com o trabalho.

Defina regras para uso do celular e seus aplicativos

Ao estabelecer essas regras, o importante é ter autocontrole e utilizar o celular somente nos horários pré-estabelecidos, com o tempo isso irá se tornar um hábito e você não sentirá falta de pegar o celular a cada instante.

Em boa parte das empresas, os próprios gestores definem normas para utilização dos dispositivos móveis, inclusive com controle e limitações a partir de serviços de controle do uso da internet. Se esse for o seu caso, não deixe de seguir as orientações da empresa.

Atenção em reuniões e eventos

Em eventos onde existem mais pessoas envolvidas como reuniões, o uso inadequado pode causar problemas para todos os participantes. Por isso, evite deixar o celular a vista de todos e muito menos ficar acessando redes sociais, conversando com contatos ou qualquer outra atividade que tire o seu foco. Se você for o gestor ou responsável pela reunião, a atenção deve ser redobrada, pois se você não dar exemplo, não poderá cobrar dos demais o comportamento adequado.

Claro que em algumas situações é necessário usar o aparelho, nesse caso peça licença dos demais e utilize o aparelho de forma discreta, se for uma conversa o ideal é se afastar ou até mesmo se retirar do ambiente para não atrapalhar o andamento da reunião ou da conversa entre os participantes.

Postura, educação e bom senso

Você como profissional ou gestor, precisa considerar que em todo o tempo e em cada comportamento, você pode estar influenciando e afetando os demais colegas de trabalho. Então evite conversas pessoais em horário de trabalho e ao usar o celular, mantenha sempre uma boa postura, sem utilizar termos de linguagem impróprios. Mesmo em conversa de trabalho com clientes, mantenha um tom de voz adequado, que não atrapalhe os colegas e também utilize um linguajar mais formal, além de manter sempre uma postura adequada. Você pode até caminhar na sala ao telefone, mas ficar falando com um cliente em voz alta e com os pés sobre a mesa com certeza não irá causar uma boa impressão para os colegas.

Não compartilhe mensagens ou conteúdo impróprio entre os colegas de trabalho

Precisa dizer mais?? evite compartilhar conteúdos inadequados como pornografia, imagens de violência, mensagens de ódio e outros tantos tipos de conteúdo sem relação com o trabalho. Também evite debates de assuntos polêmicos como política ou preferências sexuais, pois nem todos podem pensar como você ou terem os mesmos ideais e preferências e às vezes a sua opinião pode ofender os que pensam diferente de você, o que irá prejudicar o seu relacionamento com os colegas no ambiente de trabalho.

Cuidado com áudios e vídeos no celular

NUNCA abra um vídeo ou áudio em ambientes de trabalho, eventos, reuniões e locais onde há mais pessoas, como bancos e locais públicos. Como você desconhece o conteúdo do áudio ou vídeo, é possível que esse não seja adequado ao momento.

 

Em seu ambiente de trabalho, não só no uso do celular, mas em qualquer atividade que envolva colegas e clientes, é sempre preferencial exagerar pela formalidade e educação do que o contrário.

O mais importante é você ter em mente que, como profissional, seu objetivo no ambiente de trabalho deve ser manter o foco e ser produtivo, contribuindo com os resultados da equipe e do negócio. O maior prejudicado quando você não utilizar o celular ou demais recursos de tecnologia de forma adequada, será você mesmo.